Resenha - Reencontro, Leila Kruger






Intenso, apaixonante e real. Um dos melhores livros que li na minha vida. Senti, chorei e vivenciei cada minuto com Ana Luiza. Aprendi e me apaixonei ainda mais pela vida com o Rafa. Me entristeci e senti muito com a Nana. E além de tudo isso, me reencontrei diversas vezes.

Em uma leveza cativante, Leila Kruger nos permite viajar aos extremos e experimentar os mais variados sentimentos. De um lado temos a história da menina que observava o mundo através de nuvens nos seus lindos e cinzentos olhos azuis, e ao mesmo tempo, temos um lado doce através de belas e sábias palavras de grandes poetas que iniciam cada capitulo. Fantástico!!
A dona dos olhos cinzentos se chama Ana Luíza. Uma jovem de 22 anos, de classe média e que cursa odontologia. Rock, poesia e decepções fazem parte de sua vida. E tudo começou quando ela ainda era uma adolescente e acreditava, principalmente no amor.
Atualmente, em menos de um ano ela perdeu sua avó Júlia e sua melhor amiga Nana. E as perdas simbólicas também fizeram parte de sua vida. O fim de (mais) um grande amor, a ausência do seu pai, o desprezo de sua mãe e o fato de que as pessoas sempre vão embora. Tantas perdas e decepções que a prenderam em seu próprio mundo. Ela agora se encontra no lado mais sombrio do ser humano, entre álcool e drogas.
Dentre todos esses momentos de nuvens carregadas e escuras, talvez a grande tempestade se veio com a perda de sua amiga. Nana era sua parte ruiva. A que mais compreendia a nuvenzinha Ana. Ela acreditava e Deus e no amor, e mesmo assim se completavam. Mas, ela também se vai, assim como todos...

Está bem no fundo. Não se pode alcançar... aos poucos, vai roubando o ar.”

Em meio a tantas turbulências, ela conhece Rafa. Dono dos “olhos imensos” que tudo ver e do coração galopante que muito sente. Ele se torna um anjo da guarda em sua vida. Um jovem apaixonante, que acredita em tantas coisas (principalmente em Deus e no amor). Apesar de inúmeras tentativas de Aninha, como ele carinhosamente a chamava, aos poucos, ele se torna muito especial.

“Ele foi um anjo que veio abençoar minha vida. Ele acreditou em mim, quando ninguém mais – muito menos eu – acreditava. ”

O livro nos permite grandes reflexões através de temas importantes, como: decepções, perdas, dependência química, família e religião (fé). E acima de tudo, nos presenteia com a lição de que é possível recomeçar e reencontrar-se diversas vezes.

“Nada é por acaso... A vida são recomeços. Recomeçar é reencontrar o que se perdeu, ou mesmo reencontrar a busca do que nunca se teve. As pessoas estão sempre buscando reencontrar alguma coisa. ”

Além de tudo isso, Leila nos presentou com um romance surpreendente. Ana Luiza é uma mocinha bem diferente do que estamos acostumados a esperar em um romance. Ela é real. Com seus dramas, cigarro na mão e álcool na outra. Nos reencontramos muito em sua história. E existem tantas Ana Luiza por aí....  
Confesso que, no início da leitura senti uma estranheza quanto à linguagem. O sotaque se difere e muito do meu vocábulo baiano. Mas, aos poucos fui me habituando, achando bem charmoso e apaixonante. Confesso também que foi um pouco difícil resumir tudo que achei e senti. A história mexeu muito comigo. Me permitiu refletir, especialmente sobre a vida. Me reencontro em Ana (lembrando Clarice), que não passava de uma mulher, inconstante e borboleta.
Por fim, Leila simplesmente arrasou em seu primeiro livro. E para ficar ainda mais completo, seria tão maravilhoso se “Reencontro” pudesse se espalhar ainda mais pelo mundo, através de um filme. E conquistar ainda mais os corações apaixonados...
“Reencontro”: uma história de desencontros, perdas e decepções. Que nos traz uma grande lição: é possível recomeçar e reencontrar-se diversas vezes....

“Fim. Ou recomeço. Como dizem nos NA: só por hoje. Hoje é sempre o dia certo para reencontrar. ”

Nota: 10





* Conheça mais sobre a escritora 

Facebook:https://www.facebook.com/reencontroleilakruger
Instagram: www.instagram.com/leilakruger

Siga o instagram do Sessão @sessaodoslivros2



Comentários

Postar um comentário