Resenha As Areias do Tempo - Sidney Sheldon

Título Original: The Sands of Time
Editora: Record
Ano: 1995
Páginas: 374

Sinopse: Possui os elementos que transformam os livros de Sidney Sheldon em best-sellers: paixão, suspense, ação e sensualidade. Nesta empolgante narrativa, o cenário é a disputa entre os nacionalistas bascos e o governo espanhol dos anos pós-Franco. O líder guerrilheiro Jaime Miró liberta da cadeia dois companheiros condenados à morte. Seu perseguidor, o implacável coronel Ramón Acoca, invade e saqueia um convento em busca dos fugitivos. Como resultado, quatro freiras decidem fugir e se lançam em uma arriscada aventura, fazendo com que Jaime Miró se torne responsável por elas contra a sua vontade.

Ambientada na Espanha, no ano de 1976, em meio à luta entre os nacionalistas bascos e o governo monárquico espanhol no ano subsequente à morte do ditador Francisco Franco, Jaime Miró é um guerrilheiro renomado e adorado entre os que lutam contra o governo, exigindo mais direitos e autonomia para o País Basco, localizado na Península Ibérica. Após um plano minucioso e um disfarce genial, Jaime consegue libertar dois amigos condenados à morte, presos em uma cadeia em Pamplona. Enquanto Jaime pretende fugir para Logroño — uma cidade basca —, em Madri, o primeiro-ministro está apreensivo e precisa de todas as maneiras capturar o rebelde. O encarregado pela captura é o implacável coronel Ramón Acoca. Convicto de que Jaime e seus comparsas estão escondidos em um convento, ele ordena e lidera uma invasão ao local. Em meio à confusão, quatro freiras conseguem escapar. O precipitado ato desencadeia uma série de acontecimentos que mexe e abala com a vida das quatro freiras reclusas há anos do mundo exterior: Irmã Lucia, irmã Teresa, irmã Graciela e irmã Megan.
Cada qual delas possui uma história de vida para terem ingressado no convento. Irmã Lucia, na verdade, é uma assassina procurada pelas autoridades italianas e se escondia no convento até ter a oportunidade de viajar para a Suíça; Irmã Teresa, após uma grande decepção amorosa e pelo medo de reencontrar seu antigo amor, se afugentou na vida religiosa sob os rigorosos rituais de silêncio do convento Cisterciense; Irmã Graciela, depois de se deitar com um dos namorados da mãe, fica sem ter para onde ir, menor de idade e sem um teto, ingressa no convento; Irmã Megan, viveu num orfanato até os quinze anos, seguindo as normas do orfanato, precisou ir embora e sem ter para onde ir, busca refúgio no convento.
Lucia acredita que o ataque ao convento tem como objetivo capturá-la e por isso foge para as montanhas, mas seus planos mudam quando decide ajudar às demais irmãs. Acreditando ser um saque, a reverenda madre Betina encarrega Irmã Teresa a levar uma cruz de ouro ao convento em Mandavia. Ao descobrir sobre o valioso objeto, Lucia planeja roubá-la de irmã Teresa no momento propício, vender e conseguir seu passaporte para a Suíça.
No entanto, seus planos mudam outra vez quando Jaime Miró cruza o caminho das irmãs. Por um deslize de seu companheiro, Miró se vê obrigado a escoltar as irmãs até Mandavia, ainda que contra a vontade delas. O grupo se divide, cada qual segue por um caminho, mas todos com um mesmo destino: Mandavia e Logronõs. Cortando a Espanha, o grupo enfrenta a caça iminente de Acocca, seus homens e aliados, recheando a história de fugas, planos, disfarces e atitudes decisivas para o desenrolar da trama, além de atração física, sexual e muita sensualidade.

Considerações finais

Sidney Sheldon nos apresenta uma trama bem narrada e ambientada.  Durante a leitura, a gente consegue sentir toda a tensão e adrenalina das cenas, como se fôssemos um daqueles personagens. É incrível com a história de cada um dos personagens — tudo o que ele viveu no passado — contribui de alguma forma para o desenrolar dos acontecimentos atuais e de como é decisivo para a trama. A meu ver, existem dois pontos negativos no livro: 1. Em alguns capítulos flashback, o autor se estendeu demais no passado do personagem, enquanto, com outros (justo aqueles que eu queria saber mais), ele foi mais sucinto. Ainda que os flashbacks sejam importantes para se fundir com os eventos futuros, o autor poderia ter se limitado com os detalhes superficiais de certos personagens e ter dado mais atenção (e parágrafos) aos outros, tão importante quanto os anteriores para a estrutura da obra; 2. A atração entre os casais Rubio e Lucia e Ricardo e Graciela acontecem de forma muito fulminante, como um “amor à primeira vista”, digamos assim. Para mim, chega a ser até surreal que duas pessoas se amem sem ao menos se conhecerem. E para variar, aquele casal que você shippa desde o começo não tem um momento como os outros.
Do mais, As Areias do Tempo é um livro ótimo. Repleto de suspense, ação, sensualidade e uma escrita que te prende do início ao fim.
Fica a indicação e vale a pena a leitura.  

Comentários